Red Lips by Rafael Arruda
julho 2, 2009, 9:09 pm
Filed under: Ilustra, Poesia | Tags: , , , , , ,

(Ferramenta: Photoshop)

Sangue,
eles eram cor de sangue.
O toque não foi macio,
eram amargos,
amargamente desejáveis.

Sangue,
foi o que me restou.
Dei-me por gente,
sobrou-me sem alma,
cálido.

*

Aiaiai uiui. Tem certas coisas que são irresistíveis.. mulher pipoca por exemplo.

banner-pessoal-zinho



Cartas ao Desconhecido [7] by Rafael Arruda
julho 1, 2009, 5:31 pm
Filed under: Cartas ao D. | Tags: , ,

https://i2.wp.com/farm3.static.flickr.com/2468/3678634815_13de5ae3c4_b.jpg

“E minha carcaça pode ser uma delas.”

Para maiores informações acesse PROJETO CARTAS AO D., para visualizar a carta em tamanho real basta clicar sobre a imagem.

banner-pessoal-zinho



A Mulher, o Melão e a Conta Bancária. by Rafael Arruda
junho 24, 2009, 9:21 pm
Filed under: Coelho Comenta | Tags: , , , , , , ,

Coelho Comenta

“Um milhão de reais. Esse é o valor do seguro feito por Renata Frisson, a Mulher Melão, para seus seios. A moça, que ficou famosa depois de aparecer no cenário funk com bustos avantajados, pretende garantir a segurança de seus atributos. Renata já colocou 500 ml de silicone em cada seio. Ela justificou o alto valor do seguro: “se hoje sou a Mulher Melão é por causa dos meus seios, que são meu maior patrimônio. Ninguém imagina a Melão sem os peitões, né?”, disse. As informações foram publicadas no jornal Extra.”

– Nós mamíferos, se estamos aqui hoje, é por causa dos peitos, fato. Só fico pensando sobre aonde vamos chegar com essa ‘capitalização’ de qualquer coisa, hoje tudo é mercadoria, tudo é questão do ‘quanto’.
Lembro-me bem de um professor, quando cursei economia em Harvard, que dizia:  – ‘Logo estaremos colaborando para a divisão do que antes era indivisível e de valor inestimável, as coisas perderão a graça cada vez mais rápido e quando esse momento chegar, espero ter pago a minha hipoteca e um negro estará na Presidência’. Ele era vidente, foi pego pela CIA na semana seguinte.
O ponto em que eu quero chegar é que isso é só o começo, por enquanto parece ‘singular’, mas logo vira moda.. seguro da peitola, da virgindade, da inteligência, aliás, acho que vou logo providenciar essa última. sic’

‘De um Coelho, meio totalitário, usando o Google. (Y)’



Anita’s teaser by Caio
junho 18, 2009, 3:10 am
Filed under: Anita's, Ilustra, Palavras | Tags: , , , , , ,

Bom pessoal, segue aí um pequeno teaser da primeira edição do projeto “Anita’s”, só pra dar um gostinho. Texto: Rafael Arruda / Arte: Caio Vitor. Espero que gostem!

banner-pessoal-caio



Anita’s – Estudo do Pers. Marcus by Rafael Arruda
junho 10, 2009, 2:27 am
Filed under: Anita's | Tags: , , ,

(Ferramenta: Photoshop)

Aloha,

Acho que deu para perceber que o Anita’s não me tem saído da cabeça, né? Os personagens têm me vindo aos pensamentos à todo instante. O projeto continua a todo vapor, e eu? Encontrando maneiras de extrair os personagens de mim.

Umas das maneiras que encontrei para tanto é criar! Criar cada vez mais! Por isso imaginei o personagem que eu queria, no caso este é o Marcus, e encontrei um modelo para ele, o ator Orlando Bloom. Espero que gostem, pois para mim foi muito divertido fazer.

inté.

banner-pessoal-zinho



Anita’s – Estudo da Pers. Sofia by Rafael Arruda
junho 7, 2009, 6:08 pm
Filed under: Anita's | Tags: , , , , ,

(Ferramenta: Photoshop)

Olá,

Estou muito feliz com a evolução do nosso projeto Anita’s. Em breve postaremos o primeiro capítulo dessa história, um relato sobre as prisões que envolvem o ser humano. Com Ilustrações de Caio Vitor e texto do blogueiro que vos fala.

A imagem acima é um estudo da personagem Sofia, que aparecerá no primeiro capítulo. Espero que gostem dessa provocativa mulher que promete fortes emoções.  (animadíssimo!)

See you.

banner-pessoal-zinho



Desbunde by Rafael Arruda
junho 4, 2009, 12:29 pm
Filed under: Palavras | Tags: , , , ,

– Eu acho um verdadeiro desbunde! Des-Bun-De!

Não sei não, mas pra mim desbunde é quando passa aquela mulher bonita e seu amigo fala – Gostosa – e você retruca – Nem, um desbunde! – as desbundadas que me perdoem. Desbunde me lembra  algo como um disparato, alguém te manda para aquele lugar e você acha aquilo um desbunde. Desbunde tem cheiro de palavra velha, tem cheiro de casa de vó.
Não procurei saber o verdadeiro significado de desbunde, achei que seria mais autêntico. Apesar de  parecer um desbunde, não se preocupe, não sou um escritor convencional.
O meu maior desbunde é fazer com que você pense, é fazer com meus leitores sintam-se ironizados e ameaçados, não por mim, mas pela consciência que vos fala.
Não é que eu me desbunde por tudo e por todos, mas é desbundando que eu quero chegar lá. As vezes me culpo por não dominar em sua totalidade a nossa língua,  nunca fui um grande estudante do português, e me considero um escritor, desbunde. Contudo há quem diga que ‘errado é aquele que fala correto e não vive o que diz‘, mais um desbunde.
Se eu for parar para pensar, desbundo, e paro de escrever da mesma forma que respiro, por isso deixo mais espaço ao sentimento e, de maneira certa ou errada, menos para a sintaxe.
Desbunde da minha parte ou não, prefiro deixar assim como está. Desbundo as minhas ideias e o Flip Corretor Ortográfico as dele.

_

Segundo um dicionário por aí:

Desbundar – des.bun.dar
(des+bunda+ar2) gír vint 1 Perder o auto controle sob o efeito de drogas; perder as es tri bei ras. vint 2 Causar espanto ou admiração. vint 3 Perder o disfarce, mostrar a verdadeira personali da de. vtd 4 Causar impacto em.

banner-pessoal-zinho